A história da Ultrassonografia, um breve resumo!

Atualizado: Mar 22

Os sons podem ser classificados em infrassons, sons e ultrassons. Um ultrassom (fisicamente falando), é o som produzido numa frequência superior a 20KHz.

Quando um ultrassom é direcionado a uma substância, uma parte deste som é refletida de volta, trazendo informações sobre o tipo de estrutura em que penetrou.


O estudo do ultrassom foi aprimorado durante a segunda guerra mundial, para fins militares, com o desenvolvimento do SONAR (Sound Navigation and Ranging) para a navegação e a determinação da distância pelo som.

Nas décadas de 1920 e 1930 o ultrassom foi utilizado na medicina como terapia empírica, em várias áreas, desde o tratamento de artrite reumatoide até tentativas de remissão da Doença de Parkinson.

O desejo de ver como é o corpo humano por dentro, levou muitos cientistas, ao longo dos séculos 19 e 20, a desenvolverem sondas para diagnóstico e tratamento de doenças utilizando imagens.

Em medicina diagnóstica o ultrassom foi utilizado pela primeira vez em 1940 e era visto inicialmente como algo absurdo. Em 1946, John Wild concebeu a ideia de utilizar o ultrassom como um meio não invasivo para determinar o nível de ferimentos sofridos nos intestinos de pacientes. A equipe de John Wild foi capaz de tirar a ultrassonografia de tecido mamário, como um meio não invasivo, sendo capaz de identificar e diagnosticar tumores de mama.

Em 1957, Douglas Howry e sua esposa Dorothy Howry, ambos médicos, foram considerados pioneiros na utilização da ultrassonografia diagnóstica. Nesta época o paciente tinha que ficar submerso e imóvel dentro de uma banheira com água para a realização do exame. Um procedimento nada prático.

Em 1961, Richard Siemens Soldner e colaboradores, desenvolveram o equipamento Vidoson. Essa inovação mudou completamente a prática ultrassonográfica por meio de scanners, em tempo real. Hofman e Hollander Weiser publicaram o uso do equipamento em Ginecologia e Obstetrícia em 1966. Em 1968, publicaram o “Diagnóstico intra-uterino do feto hidropisia universalis com ultrassom “. Este foi provavelmente o primeiro estudo na literatura médica que descreve formalmente o diagnóstico de uma malformação fetal com ultrassom. O Vidoson se popularizou nas décadas de 60, 70 e 80. Sua popularidade inicial foi baseada na sua capacidade de permitir visualizar e estudar movimentos, tais como o movimento cardíaco-fetal, os movimentos corporais e os movimentos respiratórios fetais.

O ultrassom em tempo real com Doppler apareceu no início de 1980. No início desta década, haviam mais de 45 grandes e pequenos fabricantes de scanner de ultrassom em todo o mundo. A aplicação de ultrassonografia em Ginecologia e Obstetrícia esteve, desde então, submetida a uma proliferação explosiva. Na década de 90, a ultrassonografia caminhou um passo adiante, com imagens 3D e até 4D.

Hoje o exame ultrassonográfico acomoda-se, confortavelmente ao paciente, onde o transdutor é o responsável por transformar os ecos refletidos pelo interior do corpo humano em sinais que serão decodificados eletronicamente em uma imagem que, por sua vez, será interpretada pelo médico examinador.

A ultrassonografia é um método largamente difundido mundialmente e em praticamente todas as área médicas, devido à simplicidade em relação a outros métodos diagnóstico, por ser inócuo, dinâmico e, não promover alterações secundárias à sua aplicação. O ultrassom é um exame que pode ser utilizado na área preventiva para diagnosticar lesões no organismo ou para controlar lesões que estejam sendo tratadas na clínica, na cirurgia ou com outros métodos.


Dra. Lígia Adami

MÉDICA

CRM-CE 14674

10 visualizações