As ações dos micronutrientes no corpo humano!


O desequilíbrio nutricional tem sido constatado em boa parte da população. Os micronutrientes como vitaminas e minerais são vitais para o adequado funcionamento do nosso organismo e para a prevenção de doenças. Deficiências vitamínico-minerais quando não corrigidas podem ser responsáveis por ineficiência imunológica, menor capacidade de atuação do sistema antioxidante, maior dificuldade de reparação celular, além de sintomas de cansaço físico frequente, dificuldade de concentração e perda de rendimento na execução de exercícios físicos antes realizados normalmente.

Existem vários fatores envolvidos no desbalanço nutricional, entre eles:

  • redução do teor dos nutrientes que compõem os alimentos atuais

  • perda parcial de nutrientes nos alimentos por conta de seu ultraprocessamento pelas técnicas industriais

  • diminuição da absorção intestinal de vitaminas e minerais por conta da interação entre medicamentos de uso frequente, devido a doenças inflamatórias intestinais e também por conta da influência dos próprios alimentos entre si

  • pacientes pós cirurgia bariátrica

  • demanda aumentada de nutrientes como em quadros infecciosos, pós trauma, exercícios físicos extenuantes, perda sanguínea excessiva na menstruação

  • necessidades nutricionais específicas em crianças e adolescentes em fase de desenvolvimento, gestantes, nutrizes e idosos.

A pirâmide alimentar brasileira propões a ingesta diária de pelo menos 04 porções de legumes e verduras e 03 porções de frutas, que representam as principais fontes de vitaminas e minerais.

Os micronutrientes e suas ações no corpo humano:

  • Cálcio: é fundamental para a formação da matriz óssea, a contração muscular, a coagulação sanguínea, a transmissão do impulso nervoso, entre outras funções.

  • Cobre: é importante também na formação da matriz óssea, formação do colágenos e metabolismo de proteínas. Também atua na absorção e no transporte do ferro, e na formação de neurotransmissores cerebrais.

  • Cromo: é fundamental para o metabolismo da glicose.

  • Ferro: é fundamental para a estabilização da hemoglobina nas hemácias, que é a estrutura responsável pelo transporte de oxigênio para todas as células do corpo.

  • Iodo: é um mineral essencial na produção dos hormônios tireoidianos. Também influencia as funções musculares, neurológicas, renais e cardiovasculares.

  • Magnésio: age como uma espécie de neuroprotetor, otimizando as funções cognitivas como concentração, memória e aprendizagem. Sua deficiência pode desencadear quadros de depressão, apatia e confusão mental. Também atua na formação óssea e na saúde cardíaca.

  • Zinco: atua na imunidade e otimiza a ação da insulina na maturação espermática e na ovulação, sendo fundamental para a fertilidade tanto masculina como feminina.

  • Vitamina A: atua como antioxidante, é responsável pela integridade da visão, da pele e das mucosas. Também tem funções importantes no sistema imunológico.

  • Complexo B: diversas vitaminas formam o grupo B; as principais são: tiamina (B1), riboflavina (B2), niacina (B3), ácido pantotênico (B5), piridoxina (B6), biotina (B8), ácido fólico (B9) e a cianocobalamina (B12). As cinco primeiras citadas são essenciais para a produção de energia intracelular, além de participarem do metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras. A biotina é fundamental para a saúde dos cabelos e unhas.

  • Vitamina C: é essencial para a produção antioxidante das células no nosso organismo e, por ser facilmente excretada pela urina, não consegue se estocar dentro do corpo, necessitando, então, ser ingerida constantemente na alimentação. atua também na produção de colágeno.

  • Vitamina E: é considerada a principal vitamina antioxidante das membranas lipídicas.

  • Vitamina D: essencial para a formação dos ossos. Atua na função muscular e também age sobre o sistema imunológico.

Uma alimentação balanceada e completa é fundamental para a manutenção da saúde e para a prevenção de doenças. Em algumas situações clínicas o aporte nutricional de vitaminas e minerais pode não ser suficiente para atingir as quantidades necessárias para o organismo. Nesses casos pode ser necessária a suplementação vitamínico-mineral. A prevenção é sempre o melhor remédio!

5 visualizações